OPERAÇÃO IYFR “PLASTIC FREE WATERS”: por quê?

O plástico é um material praticamente inatacável durante séculos e, portanto, os resíduos plásticos podem permanecer indefinidamente no meio ambiente: todos os dias 1 milhão de toneladas de plástico são produzidas e muito se dispersa no ambiente que agora está cheio dele, visível quando os residuos são grandes, como as garrafas, invisíveis se estiverem em pequenos pedaços ou fios.

O que não é recolhido, por inconsciência e abandono, acaba nos rios e, portanto, no mar: o que flutua, forma grandes aglomerados nos mares e oceanos; o que vai para o fundo, espalha e cobre os fundos marinhos e os sufoca.

Já foi estabelecido que em alguns anos o peso do plástico no mar será maior do que o de todos os peixes.

MARE

Freqüentemente, peixes e animais marinhos o confundem o plastico com comida e o comem, enchendo o estômago, e acabam morrendo de fome. Mas também nós comemos peixes e o plástico que eles contêm: ainda não foi determinado se é bom para nós, mas os aditivos e plastificantes contidos são certamente tóxicos.

Todos os dias são produzidas e utilizadas grandes quantidades de objetos de plástico (embalagens industriais, garrafas, contentores, filmes) que acreditamos custar muito pouco e por isso alimentar o sistema dos “descartáveis”, mas na realidade os custos da não recolha são devastadores para a vida no mundo.

Mesmo que sejamos ativos com coleta seletiva e reciclagem (que cobrem apenas 13% dos resíduos), na maior parte do mundo isso não acontece e até a gente despeja diretamente nas águas; os resíduos cobrem primeiro os rios e depois o mar. O dano causado é irreversível.

Imagens de vítimas inúteis de redes plásticas perdidas ou abandonadas voluntariamente, rios, praias e fundos marinhos submersos em resíduos plásticos são frequentes nos mídia e mostram os prejuízos às atividades de turismo, pesca, navegação, vida marinha, bem como para nós próprios, e dar uma ideia clara dos custos diretos e indiretos relacionados.

Devemos pôr fim a esta sequência trágica se quisermos salvar a Terra e a nós mesmos.

Pin It on Pinterest

Share This